sábado, 18 de junho de 2011

SINAL DA CRUZ REFLETE TRINDADE QUE HABITA EM NÓS

Por ocasião da oração dominical do Ângelus Por meio do sinal da cruz, lembramos a Trindade divina que "passa a habitar em nós" a partir do dia do Batismo. Foi o que disse Bento XVI naquele domingo, antes da oração do Ângelus, recitada na presença de cerca de 50 mil fiéis reunidos na Praça São Pedro, no Vaticano.

Refletindo sobre o mistério da Trindade, o Papa evidenciou a importância do sinal da cruz, que, "em certo sentido, recapitula a revelação de Deus advinda dos mistérios pascais: morte e ressurreição de Cristo, sua ascensão à direita do Pai e a efusão do Espírito Santo."
"Nós o fazemos antes da oração - disse, citando o teólogo Romano Guardini - para que permaneça em nós aquilo que nos foi doado por Deus... Este abraça todo o ser, corpo e alma... e tudo se torna consagrado em nome do Deus uno e trino."
No sinal da cruz, acrescentou o Pontífice, "está contido, portanto, o anúncio que gera a fé e inspira a oração", sublinhando a importância central do sacerdócio na difusão das verdades de fé que decorrem da Trindade.
"Também Santo Cura d' Ars lembrava aos seus fiéis: ‘Quem acolheu a vossa alma no primeiro momento do ingresso na vida? O sacerdote. Quem a alimenta para lhe dar a força de realizar a sua peregrinação? O sacerdote. Quem a há de preparar para comparecer diante de Deus, lavando-a pela última vez no sangue de Jesus Cristo? O sacerdote, sempre o sacerdote'."
E, citando uma oração de Santo Hilário de Poitiers, concluiu: "Conservai imaculada esta fé reta que habita em mim e, até meu último suspiro, dai-me igualmente esta voz em minha consciência, para que assim permaneça sempre fiel àquilo que professei em minha regeneração, quando fui batizado no Pai, no Filho e no Espírito Santo".
"Confiemos hoje à Santíssima Trindade nossas dificuldades. Que Maria, que intercede por nós, nos ajude a ler os desígnios da Providência de Deus - disse. Se de Deus aceitamos o bem, por que não deveríamos aceitar o mal? (cf. Jó 2,10). Tudo está contido no plano divino de salvação", concluiu.
Fonte:Zenit.org (adaptado)

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
2º Coríntios 12,1-10

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios.

1Irmãos, será que é preciso gloriar-me? Na verdade, não convém. No entanto, passarei a falar das visões e revelações do Senhor.
2Conheço um homem, unido a Cristo, que, há catorze anos, foi arrebatado ao terceiro céu. Se ele foi arrebatado com o corpo ou sem o corpo, eu não o sei, só Deus sabe. 3Sei que esse homem – se com o corpo ou sem o corpo, não sei, Deus o sabe – 4foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis que nenhum homem consegue pronunciar.
5Quanto a esse homem eu me gloriarei, mas, quanto a mim mesmo, não me gloriarei, a não ser das minhas fraquezas. 6No entanto, se eu quisesse gloriar-me, não seria insensato, pois só diria a verdade. Mas evito gloriar-me, para que ninguém faça de mim uma ideia superior àquilo que vê em mim ou que ouve de mim. 7E para que a extraordinária grandeza das revelações não me enso­berbecesse, foi espetado na minha carne um espinho, que é como um anjo de Satanás a esbofetear-me, a fim de que eu não me exalte demais.
8A esse propósito, roguei três vezes ao Senhor que o afastasse de mim. 9Mas ele disse-me: “Basta-te a minha graça. Pois é na fraqueza que a força se manifesta”. Por isso, de bom grado, eu me gloriarei das minhas fraquezas, para que a força de Cristo habite em mim. 10Eis por que me comprazo nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições e nas angústias sofridas por amor a Cristo. Pois, quando eu me sinto fraco, é então que sou forte.
Palavra do Senhor. 

A BOA NOVA
Mateus 6,24-34

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 24“Ninguém pode servir a dois senhores: pois, ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro.
25Por isso eu vos digo: não vos preocupeis com a vossa vida, com o que havereis de comer ou beber; nem com vosso corpo, com o que havereis de vestir. Afinal a vida não vale mais do que o alimento, e o corpo, mais do que a roupa? 26Olhai os pássaros dos céus: eles não semeiam, não colhem, nem ajuntam em armazéns. No entanto, vosso Pai que está nos céus os alimenta. Vós não valeis mais do que os pássaros?
27Quem de nós pode prolongar a duração da própria vida, só pelo fato de se preocupar com isso? 28E por que ficais preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. 29Porém, eu vos digo: nem o rei Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um deles. 30Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é queimada no forno, não fará ele muito mais por vós, gente de pouca fé?
31Portanto, não vos preocupeis, dizendo: Que vamos comer? Que vamos beber? Como vamos nos vestir? 32Os pagãos é que procuram essas coisas. Vosso Pai, que está nos céus, sabe que precisais de tudo isso. 33Pelo contrário, buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo. 34Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações! Para cada dia, bastam seus próprios problemas”.

Palavra da Salvação. 

sexta-feira, 17 de junho de 2011

O SINAL DA CRUZ

O SIGNIFICADO MÍSTICO DO “PELO SINAL DA SANTA CRUZ”

"A oração talvez não mude as coisas para você, mas com certeza, mudará você para as coisas". M. Dhoemaker Samuel.
Segundo o Padre Marcelo Rossi: “O Sinal da Cruz é uma oração importante que deve ser rezada logo que acordamos, como a nossa primeira oração, para que Deus, pelos méritos da Cruz de Seu Divino Filho, nos proteja durante todo o dia.  Com este Sinal, que é o sinal do cristão, nós pedimos proteção contra os nossos inimigos. Que inimigos? 

Pelo sinal da Santa Cruz
livrai-nos Deus nosso Senhor
dos nossos inimigos
<-ESTA SERIA A POSIÇÃO CORRETA, COM QUE OS ANTIGOS CRISTÃOS USAVAM SE PERSIGNAR. 
Um mudrä.
PERSIGNAR-SE: o ato de fazer o sinal da CRUZ ou de benzer-se...
“Pelo Sinal da Cruz”.
Em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo. Amém.
      
(†) Pelo sinal da Santa Cruz: ao traçarmos a primeira cruz em nossa testa, nós estamos pedindo a Deus que proteja a nossa mente dos maus pensamentos, das ideologias malsãs e das heresias, que tanto nos tentam nos dias de hoje e mantendo a nossa inteligência alerta contra todos os embustes e ciladas do demônio.
(†) Livrai-nos Deus, Nosso Senhor: com esta segunda cruz sobre os lábios, estamos pedindo para que de nossa boca só saiam palavras de louvor: louvor a Deus, louvor aos Seus Santos e aos Seus Anjos; de agradecimento a Deus, pois tudo o que somos e temos são frutos da Sua misericórdia e do Seu amor e não dos nossos méritos; que as nossas palavras jamais sejam ditas para ofender o nosso irmão
(†) Dos nossos inimigos: a terceira cruz tem como objetivo proteger o nosso coração contra os maus sentimentos: contra o ódio, a vaidade, a inveja, a luxúria e outros vícios; fazer dele uma fonte inesgotável de amor a Deus, a nós mesmos e ao nosso próximo; um coração doce, como o de Maria e manso e humilde como o de Jesus".
Fonte: Mensageiros da Paz (texto: Padre Marcelo Rossi)                           

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
2º Coríntios 11,18.21b-30

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios.

Irmãos, 18já que muitos se gloriam segundo a carne, eu também me gloriarei. 21bO que outros ousam dizer em vantagem própria, eu também o digo a meu respeito, embora fale como insensato.
22São hebreus? Eu também. São israelitas? Eu também. São da descendência de Abraão? Eu também. 23São servos de Cristo? Como menos sensato digo: Eu ainda mais. De fato, muito mais do que eles: pelos trabalhos, pelas prisões, pelos açoites sem conta.
Muitas vezes, vi-me em perigo de morte. 24Cinco vezes recebi dos judeus quarenta açoites menos um. 25Três vezes, fui batido com varas. Uma vez, fui apedrejado. Três vezes, naufraguei. Passei uma noite e um dia em alto-mar.
26Fiz inúmeras viagens, com inúmeros perigos: perigos de rios, perigos de ladrões, perigos da parte de meus compatriotas, perigos da parte dos pagãos, perigos na cidade, perigos em lugares desertos, perigos no mar, perigos por parte de falsos irmãos.
27Trabalhos e fadigas, inúmeras vigílias, fome e sede, frequentes jejuns, frio e nudez! 28E, sem falar de outras coisas, a minha preocupação de cada dia, a solicitude por todas as Igrejas! 29Quem é fraco, que eu também não seja fraco com ele? Quem é escandalizado, que eu não fique ardendo de indignação? 30Se é preciso gloriar-se, é de minhas fraquezas que me gloriarei!

Palavra do Senhor.

A BOA NOVA
Mateus 6,19-23


Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 19“Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e os ladrões assaltam e roubam. 20Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem, nem os ladrões assaltam e roubam. 21Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. 
22O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho é sadio, todo o teu corpo ficará iluminado.23Se o teu olho está doente, todo o corpo ficará na escuridão. Ora, se a luz que existe em ti é escuridão, como será grande a escuridão. 

Palavra da Salvação.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

VAMOS REZAR?


Senhor Deus, dono do tempo e da eternidade, teu é o hoje e o amanhã, o passado e o futuro.  Obrigado pela vida e pelo amor, pelas flores, pelo ar e pelo sol; pela alegria e pela dor, pelo que foi possível e pelo o que não foi.

Apresento-te as pessoas que, ao longo destes anos, amei. As amizades novas e os antigos amores. As que estão perto de mim e aquelas que pude ajudar. As  pessoas com as quais compartilhei a vida, o trabalho, a dor e a alegria.  Mas, também, Senhor, hoje quero pedir perdão pela falta de tempo, pelo esquecimento, por deixar de agradecê-lo pelo seu amor infinito.













Ofereço-te tudo o que fiz com amor. O trabalho que pude realizar, as coisas que passaram por minhas mãos, e o que com elas pude construir.
Perdão pelo tempo desperdiçado e pelo trabalho mal feito; perdão pelos momentos de desânimo. Também pela oração que aos poucos fui adiando e que agora venho apresentar-te. Por todos os meus descuidos e equívocos, novamente te peço perdão. 

Na estrada que se apresenta para mim, peço que me acompanhes e guarde os meus dias para que possa seguir e concluir minha jornada. 
Peço ainda para que abençoe meus familiares e amigos com a paz e a alegria, a fortaleza e a prudência, a lucidez e a sabedoria.

Abre, sim, meu ser a tudo o que é bom e que minha alma seja repleta somente de bênçãos, para que eu as derrame por onde passar.

Senhor, a todos, espalha sabedoria, paz e amor, para que possam fazer novas amizades que durem para sempre em seus corações.

Enche-me, também, de bondade e alegria para que todas as pessoas que eu encontrar em meu caminho possam descobrir um pouquinho de Ti.

Obrigado, Senhor.
Amém.

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
2º Coríntios 11,1-11


Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios.

Irmãos, 1oxalá pudésseis suportar um pouco de insensatez, da minha parte. Na verdade, vós me suportais. 2Sinto por vós um amor ciumento semelhante ao amor que Deus vos tem. Fui eu que vos desposei a um único esposo, apresentando-vos a Cris­to como virgem pura. 3Porém, receio que, como Eva foi enganada pela esperteza da serpente, também vossos pensamentos se corrompam, afastando-se da simplicidade e purezas devidas a Cristo: 4De fato, se aparece alguém pregando outro Jesus, que nós não pregamos, ou prometendo um outro Espírito, que não recebestes, ou anunciando um outro evangelho, que não acolhestes, vós o suportais de bom grado. 5No entanto, entendo que em nada sou inferior a esses “superapósto­los”! 6Mesmo que eu seja inábil na arte de falar, não o sou quanto à ciência: eu vo-lo tenho demonstrado em tudo e de todas as maneiras.7Acaso cometi algum pecado, pelo fato de vos ter anunciado o evangelho de Deus gratuitamente, humilhando-me a mim mesmo para vos exaltar? 8Para vos servir, despojei outras Igrejas, delas recebendo o meu sustento. 9E quando, estando entre vós, tive alguma necessidade, não fui pesado a ninguém, pois os irmãos vindos da Macedônia supriram as minhas necessidades. Em todas as circunstâncias, cuidei – e cuidarei ainda – de não ser pesado a vós. 10Tão certo como a verdade de Cristo está em mim, essa minha glória não me será arrebatada nas regiões da Acaia. 11E por quê? Será porque eu não vos amo? Deus o sabe!

Palavra do Senhor. 


A BOA NOVA
Mateus 6,7-15


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7“Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. 8Não sejais como eles, pois vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais. 9Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; 10venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus.11O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. 12Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. 13E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal.
14De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. 15Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes”. 

Palavra da Salvação.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DO EQUILÍBRIO

Virgem Mãe de Deus e dos homens, MARIA. Pedimos-vos o dom do equilíbrio cristão, hoje tão necessário à Igreja e ao mundo. Livrai-nos de todo o mal; salvai-nos do egoísmo, do desânimo, do orgulho, da presunção e da dureza de coração. Dai-nos tenacidade no esforço, calma no insucesso, humildade no êxito feliz. Abri nossos corações à santidade. Fazei que pela pureza de coração, pela simplicidade e amor à verdade, possamos conhecer nossas limitações.


Alcançai-nos a graça de compreender e viver a Palavra de Deus. Concedei-nos que, pela Oração, Amor e Fidelidade à Igreja na pessoa do Sumo Pontífice, vivamos em comunhão fraterna com todos os membros do Povo de Deus, Hierarquia e fiéis. Despertai-nos profundo sentimento de solidariedade entre irmãos, para que possamos viver, com Equilíbrio, a nossa Fé, afetividade e sexualidade na Esperança da eterna salvação. Nossa Senhora do Equilíbrio, a Vós nos consagramos, confiantes na ternura da vossa maternal Proteção.

Divino Espírito Santo, que deste a Maria todo o equilíbrio emocional e físico, dai-nos a graça de abandonar em vós nossos sentimentos e emoções, desejos e aspirações, a amar acima de tudo a Deus e não querer nada que nos prejudique nem nos afaste da Sua Vontade. Dai-nos a graça da paciência nas demoras, do discernimento para procurar as pessoas certas que nos ajudem, da cura de nossas feridas emocionais provocadas pela falta do amor verdadeiro e de escolhas erradas.

Padre Luizinho, Missionário Canção Nova

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
2º Coríntios 9,6-11

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios.

Irmãos, 6“quem semeia pouco colherá também pouco e quem semeia com largueza colherá também com largueza”. 7Dê cada um conforme tiver decidido em seu coração, sem pesar nem constrangimento; pois Deus “ama quem dá com alegria”.
8Deus é poderoso para vos cumular de toda sorte de graças, para que, em tudo, tenhais sempre o necessário e ainda tenhais de sobra para toda obra boa, 9como está escrito: “Distribuiu generosamente, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre”.
10Aquele que dá a semente ao semeador e lhe dará o pão como alimento, ele mesmo multiplicará as vossas sementes e aumentará os frutos da vossa justiça. 11Assim, ficareis enriquecidos em tudo e podereis praticar toda espécie de liberalidade, que, através de nós, resultará em ação de graças a Deus.

Palavra do Senhor.

A BOA NOVA
Mateus 6,1-6.16-18

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 1“Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus.
2Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa.
3Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, 4de modo que, a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará recompensa.
5Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar em pé, nas sinagogas e nas esquinas das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade, vos digo: eles já receberam a sua recompensa.
6Ao contrário, quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa.
16Quando jejuardes, não fi­queis com o rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade, vos digo: Eles já receberam a sua recompensa.
17Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, 18para que os homens não vejam que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa”.

Palavra da Salvação. 

terça-feira, 14 de junho de 2011

LEVANTA-TE!

Havia um professor de filosofia que era um ateu convicto. 
Sempre sua meta principal era tomar um semestre inteiro para provar que DEUS não existe. 
Os estudantes sempre tinham medo de argüi-lo por causa da sua lógica impecável. 
Por 20 anos ensinou e mostrou que jamais haveria alguém que ousasse contrariá-lo, embora, às vezes surgisse alguém que o tentasse, nunca o venciam. 
No final de todo semestre, no último dia, fazia a mesma pergunta à sua classe de 300 alunos: 
- Se há alguém aqui que ainda acredita em Jesus, que fique de pé! 
Em 20 anos ninguém ousou levantar-se. 
Sabiam o que o professor faria em seguida. Diria : - Porque qualquer um que acredita em Deus é um tolo! Se Deus existe impediria que este giz caísse ao chão e se quebrasse.
 
Esta simples questão provaria que Ele existe, mas, não pode fazer isso! 
E todos os anos soltava o giz, que caia ao chão partindo-se em pedaços. 

E todos os estudantes apenas ficavam quietos, vendo a DEMONSTRAÇÃO. 
A maioria dos alunos pensavam que Deus poderia não existir. Certamente, havia alguns cristãos mas, todos tiveram muito medo de ficar de pé. 
Bem.... há alguns anos chegou a vez de um jovem cristão que tinha ouvido sobre a fama daquele professor. O jovem estava com medo, mas, por 3 meses daquele semestre orou todas as manhãs, pedindo que tivesse coragem de se levantar, não importando o que o professor dissesse ou o que a classe pensasse. Nada do que dissessem abalaria sua fé... 
ao menos era seu desejo. 

Finalmente o dia chegou. O professor disse: 
 
- Se há alguém aqui que ainda acredita em Jesus, que fique de pé! 
O professor e os 300 alunos viram, atônitos, o rapaz levantar-se no fundo da sala.  O professor gritou: - Você é um TOLO!!! Se Deus existe impedirá que este giz caia ao chão e se quebre! E começou a erguer o braço, quando o giz escorregou entre seus dedos, deslizou pela camisa, por uma das pernas da calça, correu sobre o sapato e ao tocar no chão simplesmente rolou, sem se quebrar. O queixo do professor caiu enquanto seu olhar, assustado, seguia o giz. Quando o giz parou de rolar levantou a cabeça... encarou o jovem e... saiu apressadamente da sala. O rapaz caminhou firmemente para a frente de seus colegas e, por meia hora, compartilhou sua fé em Jesus. Os 300 estudantes ouviram, silenciosamente, sobre o amor de Deus por todos e sobre seu poder através de Jesus. 

Muitas vezes passamos por situações em que acreditamos que "nosso giz" vai quebrar, mas Deus, com sua infinita sabedoria e poder faz o contrário, por isso, você tem duas opções: 
1. Esquecer esta história ou
2. Cheio (a) de Espírito Santo e de coragem falar e divulgar a nossa Páscoa para o mundo!
Estamos de pé! Quem nos acompanha? 

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
2º Coríntios 8,1-9

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios.

1Irmãos, queremos levar ao vosso conhecimento a graça de Deus que foi concedida às Igrejas da Ma­ce­dônia. 2Com efeito, em meio a grandes tribulações que as provaram, a sua extraordinária alegria e extrema pobreza transbordaram em tesouros de liberalidade.
3Eu sou testemunha de que esses irmãos, segundo os seus recursos e mesmo além dos seus recursos, por sua própria iniciativa 4e com muita insistência, nos pediram a graça de participar da coleta em favor dos santos de Jerusalém. 5E, indo além de nossas expectativas, puseram-se logo à disposição do Senhor e também à nossa, pela vontade de Deus.
6Por isso solicitamos a Tito que, assim como a iniciou, ele leve a bom termo entre vós essa obra de generosidade. 7E como tendes tudo em abundância – fé, eloquência, ciência, zelo para tudo, e a caridade de que vos demos o exemplo – assim também procurai ser abundantes nesta obra de generosidade.
8Não é uma ordem que estou dando; mas é para testar a sinceridade da vossa caridade que eu lembro a boa vontade de outros. 9Na verdade, conheceis a generosidade de nosso Senhor Jesus Cristo: de rico que era, tornou-se pobre por causa de vós, para que vos torneis ricos, por sua pobreza.

Palavra do Senhor. 


A BOA NOVA
Mateus 5,43-48


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Vós ou­vistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ 44Eu, porém, vos digo: ‘Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!’ 45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre os justos e injustos.
46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? 47E se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”. 

Palavra da Salvação. 

segunda-feira, 13 de junho de 2011

ORAÇÃO

Lembrai-vos ó glorioso Santo Antônio, amigo do Menino Jesus e filho querido de Maria Imaculada, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido a vós e implorado a vossa proteção tenha sido por vós abandonado. Animado duma igual confiança, venho a vós, ó fiel consolador dos filhos, gemendo sob os pés dos meus pecados, posto-me a vossos pés e, pecador, como sou, ouso aparecer diante de vós: não rejeitas minha súplica, vós tão poderoso junto ao coração de Jesus Cristo, mas escutai-a favoravelmente e dignai-vos atendê-la.

Assim seja, amém.

SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA, DE LISBOA, DO MUNDO...

Santo Antônio nasceu em Lisboa, Portugal, em 15 de agosto de 1195. Recebeu o nome de batismo de Fernando de Bulhões, descendente da família de Godofredo de Bulhões, chefe da primeira cruzada do século XI. Era o primogênito de uma família nobre, poderosa e rica. Os pais o encaminharam aos estudos, desejando que ele se tornasse um magistrado ou um bispo. Mas, bem cedo, começou a desiludir as miragens ambiciosas dos pais. Deus o atraía e ele não opôs resistência. Amava intensamente a oração. Uma pitoresca lenda conta que um dia, na Catedral de Lisboa, enquanto rezava, o menino afugentou o demônio traçando o sinal da cruz no chão.
Aos 15 anos, Fernando deixa seu rico palácio, seus familiares, que são contrários, e vai para a abadia de São Vicente, na periferia de Lisboa, pertencente aos Cônegos Regulares de Santo Agostinho. A estes religiosos é que Fernando deve toda a sua formação intelectual, que o faz um dos homens mais cultos da Igreja na Europa, nos princípios do século XII.
Pouco tempo depois, foi transferido para uma outra abadia, o Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra, que era a capital do reino de Portugal.
Com 25 anos, ainda agostiniano é ordenado sacerdote. Neste ano, Fernando teve a grande virada no eixo de sua história: passa de Cônego Regular Agostiniano para seguir as pegadas de um novo fundador: Francisco de Assis. Três são as razões que influíram na mudança de ordem:
a) a estagnação de sua congregação e a falta do espírito apostólico e de idealismo da mesma;
b) os frades da nova ordem estavam cheios de vigor e idealismo         e adotavam os elementos essenciais da vida religiosa tradicional,
mas dela se afastavam em vários aspectos: não tinham mosteiros, nem residências fixas, nem segurança econômica, pois professavam pobreza absoluta em comum e em particular, dedicavam-se à atividade missionária com pretensões de conquistar o mundo para Jesus Cristo;
c) os cincos mártires franciscanos assassinados em Marrocos cujos corpos trazidos para Coimbra e, por coincidência, ao mesmo mosteiro de Santa Cruz, onde ele vivia. Narram as antigas biografias que, na ocasião, Fernando, levado pelo desejo de imitar o heroísmo dos frades, pediu ingresso na nova ordem.
Ao receber o burel franciscano, Fernando deixa o seu nome de batismo e acolhe um outro: Antônio, ou seja, Frei Antônio. Recebeu este nome oriundo do padroeiro do conventinho do frades menores em Coimbra, que naqueles tempos dava um nome novo a todos os que ingressavam na Ordem. A palavra Antônio significa “altissonante”, que troveja, soa, nas alturas, retumbante, estrondoso, estrepitoso, altissonante.
No final daquele ano, 1220, o jovem Frei Antônio vai para Marrocos onde pretende realizar o sonho missionário. Lá chegando adoeceu e teve que voltar para Portugal. O navio que o levava de volta, foi desviado pelos ventos e aportou na ilha da Sicília. Antônio rumou então para Assis a fim de se encontrar com Frei Francisco. Este, logo reconheceu em Antônio seu profundo conhecimento teológico e colocou-o como professor em Bolonha.
Frei Antônio revelou-se um exímio pregador e após algum tempo, como a maioria dos franciscanos, saiu a pregar pelas cidades da Itália setentrional e o sul da França, combatendo os focos de corrupção e de heresias. Em 1121, foi eleito provincial dos franciscanos, tinha então 26 anos. Continuou até sua morte, aos 36 anos, no seu apostolado da palavra. Sua fama de pregador e milagroso estendeu-se por toda à parte e ele fez muitos milagres em vida.
Dez meses após sua morte, Santo Antônio foi santificado. Seu sepulcro tornou-se centro de peregrinações. Com o correr do tempo, os devotos de Santo Antônio, tornam-se mais e mais numerosos, principalmente no Brasil e na Itália.
Santo Antônio é conhecido como o santo casamenteiro e o protetor das coisas perdidas. Entretanto, o mais importante de tudo, é a caridade aos necessitados, o Pão dos Pobres, caridade que se faz em homenagem a Santo Antônio, ligando este gesto a seu nome, perpetuando o espírito de caridade vivido pelo santo.
Frei Antônio faleceu em 13 de junho de 1231 e este é o dia de sua festa.

BENDITO SANTO ANTÔNIO

Português Antônio,
todo soberano,
vieste ao mundo
depois de um ano.

Depois de um ano
vieste a terra,
vós que sois um santo
tudo em vós se encerra.

Tudo em vós se encerra,
não tendes igual,
pois que sois do mundo
o mais singular.

O mais singular,
nascido em Lisboa,
com que sempre a ordem
cuja fama zoa.

Cuja fama zoa
por todo o Universo
pois também meu santo
ouve que vos peço.

Ouve que vos peço
sabeis o que quero,
auxílio de graça
para não pecar.

Para não pecar
contra o rei divino,
majestosa glória
com vosso Menino.

Com o vosso Menino,
todo folgazão,
vos trazei em brinde
na palma da mão.

Na palma da mão,
vós o sustentai,
com tanta grandeza
louvando sejais.

Louvado sejais
ao Menino também,
que nos dê a glória
para sempre amém. 

BENÇÃO SANTO ANTÔNIO!

Glorioso Santo Antônio,
sobre vossos devotos lançai,
vossas bênçãos carinhosas (sinal da cruz)
do céu as graças nos daí.

Rogai por nós, oh! Antônio,
lá no céu onde reina a alegria
junto a Deus.

Por vossa bênção serena,
a virtude generosa,
o pecado evitaremos,
por benção tão amorosa

Rogai por nós, oh! Antônio,
lá no céu, onde reina a alegria,
junto a Deus.

Eu vos peço, Oh! Antônio,
por vossa trezena querida,
que nos lance a vossa bênção (sinal da cruz)
durante a nossa vida.

Rogai por nós, Oh! Antônio,
lá no céu, onde reina a alegria,
junto a Deus. 

HINO A SANTO ANTÔNIO

Oh Antônio que fostes na terra
Cabal modelo de amor
Daí-nos paz, daí-nos fé e coragem
Nesta vida de luta e de dor.

Oh Glorioso Santo Antonio,
De coração vos rogamos,
Pedi por nós a Jesus,
Ainda que não mereçamos.

Salve, salve os teus filhos da Europa,
és tua pátria querida, és o guia,
e aos filhos que tendes na terra,
um olhar sobre o nosso Brasil

Oh Antônio que fostes na terra
Cabal modelo de amor
Daí-nos paz, daí-nos fé e coragem
Nesta vida de luta e de dor.

OFERECIMENTO A SANTO ANTÔNIO

Meu insigne português
oferecer-vos hoje quero
com todo meu coração
este meu culto sincero.

Se foste da mãe de Deus
tão fino e tão puro amante
podei fazer com que eu seja
também neste amor constante.

Peço a vós que ampareis
na vida e morte também
até que nos conduzais
a Santa Jerusalém.

OFERTAS DAS FLORES

Queremos, oh! Santo Antônio,                     
flores oferecer.
Aceita, oh! Santo Antônio
o nosso bem querer.

Mais do nosso amor,
receba as flores,
oh! glorioso Antônio,
fazei que no céu
possamos sem véu
te contemplar um dia.
Cantar com alegria,
o seu louvor,
a nosso favor,
em celeste harmonia.

Queremos, oh! Santo Antônio,
flores oferecer.
Aceita, oh! Santo Antônio,
o nosso bem querer.

A flor da caridade,
bravos de puro amor,
pedimos com piedade
até aos pés do Senhor
mais do vosso amor.

Receba as flores,
oh! glorioso Antônio,
fazei que no céu
possamos sem véu
te contemplar um dia.
Cantar com alegria
o seu louvor,
a nosso favor,
em celeste harmonia.

Humilde flor serena
de vossa estimação,
a violeta amena
atrai teu coração.

Mais do nosso amor,
receba as flores.
Oh! glorioso Antônio,
fazei que no céu
possamos sem véu
te contemplar um dia.
Cantar com alegria
o seu louvor
a nosso favor
em celeste harmonia.