sábado, 4 de junho de 2011

SANTO ANTÔNIO É PRUDÊNCIA!

A prudência é um virtude absolutamente necessária a todos os homens porque é companheira das demais virtudes que sem ela se perdem o nome e a natureza.

A prudência prepara o caminho para o seu trilhado com segurança e vai lentamente dirigindo à perfeição. Nos atos em que a prudência age,adquire-se o testemunho da própria consciência na pureza das intenções, legitimidade de sentimentos e realidade das obrigações.

Antônio foi prudente, não ofendeu a verdade nem a justiça, em todos os acontecimentos de sua vida. Por esta virtude soube trilhar um caminho puro e conhecer  qual era o que conduzia ao céu e qual o que  o apartava dele.A prudência foi uma luz da que o espírito lhe brilhava nos sucessos mais difíceis e mais perigosos;por esta virtude aprendia o seu coração a regular os seus desejos, a compor as suas orações, a presidir as suas empresas; com ela regia os fatos,compunha os fatos, ornava as palavras e resistia ao artifício da ilusão e da mentira.Sem a prudência, a firmeza degenera em severidade, a doçura em uma condescendência criminosa, e o zelo é quase indiscreto; mas tais eram os conhecimentos de Antônio que, regulados pelos sábios ditames da razão, as suas correções eram sempre úteis e os seus avisos saudáveis.


ORAÇÃO


Antônio Prudente, vós que em todas as ações de vossa vida curta, patenteastes a pureza dos costumes, a par das mas atilada prudência, com que extirpartes as grandes dissensões que dividiam os homens, conseguindo que as paixões ateadas por uma liberdade indiscreta fossem refreadas e moderadas pelo que a prudência ditava:fazei que,sendo nós vítimas destas paixões, no combate com ela, procuremos por modelo vossa prudência, para com ela diminuirmos o numero de males de que se acha juncada a carreira de nossos dias.A vossa prudência seja a guia que nos dirija na prática da justiça e da verdade, companheiras inseparáveis da prudência, para que, unindo-se às outras que nos são necessárias, nos justifiquemos com elas perante a Deus,nosso Juiz, a quem convosco louvaremos por toda a eternidade.Amém.

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
Atos dos Apóstolos 18,23-28

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

23Paulo permaneceu algum tempo em Antioquia. Em seguida, partiu de novo, percorrendo sucessivamente as regiões da Galácia e da Frígia, fortalecendo todos os discípulos.24Chegou a Éfeso um judeu chamado Apolo, natural de Alexandria. Era um homem eloquente, versado nas Escrituras. 
25Fora instruído no caminho do Senhor e, com muito entusiasmo, falava e ensinava com exatidão a respeito de Jesus, embora só conhecesse o batismo de João. 26Então, ele começou a falar com muita convicção na sinagoga. Ao escutá-lo, Priscila e Áquila tomaram-no consigo e, com mais exatidão, expuseram-lhe o caminho de Deus. 
27Como ele estava querendo passar para a Acaia, os irmãos apoiaram-no e escreveram aos discípulos para que o acolhessem bem. Pela graça de Deus, a presença de Apolo aí foi muito útil aos fiéis. 28Com efeito, ele refutava vigorosamente os judeus em público, demonstrando pelas Escrituras que Jesus é o Messias. 

Palavra do Senhor.


A BOA NOVA
João 16,23b-28


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
23b“Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vo-la dará. 24Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis; para que a vossa alegria seja completa. 
25Disse-vos estas coisas em linguagem figurativa. Vem a hora em que não vos falarei mais em figuras, mas claramente vos falarei do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que vou pedir ao Pai por vós, 27pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus. 28Eu saí do Pai e vim ao mundo; e novamente parto do mundo e vou para o Pai”.

Palavra da Salvação. 

VEM, ESPÍRITO SANTO!

Que o Espírito de Deus NOS FORTIFIQUE EM NOSSA FÉ e reacenda nos nossos corações a chama que um um dia foi dada ,como uma tocha olímpica, no nosso batismo( primeiro pentecostes da nossa vida). Doação essa, renovada em tantas outras ocasiões de nossa caminhada rumo à Jerusalém Celeste. Agora, O ESPÍRITO NOS ENVIA COMO TESTEMUNHAS de um Deus-Amor que quer para seus seus filhos e filhas a VIDA EM PLENITUDE.Por isso precisamos pedir sempre: VEM, ESPÍRITO SANTO!   Entramos em um período importantíssimo para a igreja: A espera do Pentecostes! Exatamente hoje começa a novena, o tempo de oração em clamor ao Espírito que dá a vida todas as coisas. É tempo de intensificarmos nossos clamores ao Divino Espírito Santo! Por isso, rezando por todos nós, o Senhor me deu esta palavra: MT.9, 18 e 25. O Senhor que deseja nos levantar! nos Erguer! nos Ressuscitar de tudo que é morte em nossas vidas. Eu te convido querido(a) a tomar posse desta palavra em sua vida e rezar para a grande libertação que o Senhor nos reserva por meio do seu Santo Espírito. E ainda esta palavra: ECLO.46,16-18. Por isso, irmãos, entremos em comunhão de oração. Façamos a Novena de Pentecostes, mesmo que não tenhamos o livro, façamos uma oração ao Espírito durante todos estes dias, para que, na festa do Divino Espírito Santo, possamos estar RENOVADOS para a Glória de Deus! 
Um grande abraço, carinhosamente no Senhor.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

SANTO ANTÔNIO É CARIDADE

A caridade é a maior e a mais bela de todas as virtudes, só de per si é capaz de abrir caminho reto e seguro para a glória.
Esta virtude aperfeiçoa-nos a alma, tanto que qualquer espécie de merecimento que se adquira não tem valor algum sem a caridade que Deus estabeleceu para a felicidade dos homens. A caridade, compreendendo o amor de Deus e do próximo, é o meio mais seguro de encontrar-se esta felicidade.
No dois preceitos do amor de Deus e do próximo, está todo o compêndio da perfeição da lei. O primeiro é o maior de todos, e o segundo não deixa de lhe ser semelhante. Não são duas virtudes diferentes, como parecem à primeira vista pelo seu objeto, antes inseparáveis e indivisíveis; têm o mesmo motivo e as mesmas obrigações.
A caridade também é a virtude mais fácil de se praticar; é uma ciência que todo o homem nasce perfeitamente instruído: é um documento que vem unido ao nosso coração; e, como este foi feito para amar, o amor é a sua inclinação e o seu centro; nada mais natural que amar ao próximo.
Foi sobre as inclinações da natureza e inflamação no amor de Deus e do próximo que Antônio fundou o edifício da sua caridade. Amou a Deus e  coração o conduziu, sem violência a este amor; amou a Deus,em reverência da santidade de seus preceitos; amou a Deus,por suas grandes e admiráveis qualidades: e vencendo pela divina graça, os impulsos da natureza, amou,por Deus, o próximo,ainda quando o insultasse e ofendesse. Toda a Terra foi teatro das maravilhas que praticou pela caridade. Ele acendeu o fogo  com que lhe purificou todas as ações; formou as cândidas asas com que ele corria, voava ao martírio, e multiplicou-lhe a presença, para defender a inocência. Por ela vencia todos os obstáculos, sofria todas as injúrias, perdoava, valorosamente, aos inimigos.Tais foram os milagres da sua caridade, virtude sublime que, depois de animar-lhe o coração, imortalizou-lhe a memória.

ORAÇÃO

Caritativo Antônio, vós que, em todas as ações da vida, nos destes contínuas e decisivas provas do alto grau do vosso amor para com Deus e para com o próximo, e nos fizestes conhecer o fruto da virtude da caridade,prêmio que, pela sua observância, recebestes da mão daquele que se dignou baixar aos vossos braços: fazei que, imitando nós o vosso exemplo nesta virtude, e conseguindo-a no alto grau em que possuístes, ela se apodere e senhoreie dos nossos corações.
Assim, ornados com ela e com o auxílio de vossa proteção,aspiremos a conseguir a salvação eterna que nos concederá Jesus Cristo que, para no-la dar, com o seu sangue resgatou os nossos pecados, e a quem desde já louvamos e louvaremos eternamente. Amém.
.

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
Atos dos Apóstolos 18,9-18

Leitura dos Atos dos Apóstolos. 

Estando Paulo em Corinto, 9uma noite, o Senhor disse-lhe em visão: “Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, 10porque eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para fazer mal. Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence”. 11Assim Paulo ficou um ano e meio entre eles, ensinando-lhes a Palavra de Deus. 
12Na época em que Galião era procônsul na Acaia, os judeus insurgiram-se em massa contra Paulo e levaram-no diante do tribunal, 13dizendo: “Este homem induz o povo a adorar a Deus de modo contrário à Lei”. 
14Paulo ia tomar a palavra, quando Galião falou aos judeus, dizendo: “Judeus, se fosse por causa de um delito ou de uma ação criminosa, seria justo que eu atendesse a vossa queixa. 15Mas, como é questão de palavras, de nomes e da vossa Lei, tratai disso vós mesmos. Eu não quero ser juiz nessas coisas”. 16E Galião mandou-os sair do tribunal. 
17Então todos agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga, e espancaram-no diante do tribunal. E Galião nem se incomodou com isso. 18Paulo permaneceu ainda vários dias em Corinto. Despedindo-se dos irmãos, embarcou para a Síria, em companhia de Priscila e Áquila. Em Cencreia, Paulo rapou a cabeça, pois tinha feito uma promessa. 

Palavra do Senhor. 

A BOA NOVA
João 16,20-23a

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 
20“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo. 
22Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23aNaquele dia, não me perguntareis mais nada”. 


Palavra da Salvação.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
Atos dos Apóstolos 18,1-8

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 1Paulo deixou Atenas e foi para Corinto. 2Aí encontrou um judeu chamado Áquila, natural do Ponto, que acabava de chegar da Itália, e sua esposa Priscila, pois o imperador Cláudio tinha decretado que todos os judeus saíssem de Roma. Paulo entrou em contato com eles. 3E, como tinham a mesma profissão – eram fabricantes de tendas – Paulo passou a morar com eles e trabalhavam juntos.
4Todos os sábados, Paulo discutia na sinagoga, procurando convencer judeus e gregos.5Quando Silas e Timóteo chegaram da Macedônia, Paulo dedicou-se inteiramente à Palavra, testemunhando diante dos judeus que Jesus era o Messias. 6Mas, por causa da resistência e blasfêmias deles, Paulo sacudiu as vestes e disse: “Vós sois responsáveis pelo que acontecer. Eu não tenho culpa; de agora em diante, vou dirigir-me aos pagãos”.
7Então, saindo dali, Paulo foi para casa de um pagão, um certo Tício Justo, adorador do Deus único, que morava ao lado da sinagoga. 8Crispo, o chefe da sinagoga, acreditou no Senhor com toda a sua família; e muitos coríntios, que escutavam Paulo, acreditavam e recebiam o batismo.

Palavra do Senhor.


A BOA NOVA
João 16,16-20


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
16“Pouco tempo ainda, e já não me vereis. E outra vez pouco tempo, e me vereis de novo”.17Alguns dos seus discípulos disseram então entre si: “O que significa o que ele nos está dizendo: ‘Pouco tempo, e não me vereis, e outra vez pouco tempo, e me vereis de novo’, e: ‘Eu vou para junto do Pai?’”.
18Diziam, pois: “O que significa este pouco tempo? Não entendemos o que ele quer dizer”.19Jesus compreendeu que eles queriam interrogá-lo; então disse-lhes: ‘Estais discutindo entre vós porque eu disse: ‘Pouco tempo e já não me vereis, e outra vez pouco tempo e me vereis?’
20Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria”.


Palavra da Salvação.

SANTO ANTÔNIO É ESPERANÇA

A esperança é uma virtude que suaviza todos os males da vida presente, ou futura, e que nos inspira resignação à Providência divina, pelas recompensas que promete aos que têm confiança na misericórdia de Deus. Esta virtude é uma dádiva generosa da divindade, que nos leva ao fim de nossos dias, por um caminho suave e agradável, uma vez que regulemos a esperança com a consideração do objeto a que ela se dirige. Com a ajuda desta virtude, suportamos facilmente e de bom grado, os males da vida, e alcançamos uma inteira e completa resignação à vontade de Deus, sustentando nossa alma até os braços da morte, contra os embates e aflições de que é semeada a nossa vida. Devemos esperar em Deus que é a fonte de toda a esperança e jurar sobre a sua palavra, porque Ele não engana. 

Antônio, deixando sua alma apossar-se destes pensamentos, e praticando em suas ações o que era conforme com eles, deu tão cabal desempenho a esta virtude da esperança, e teve tão firme persuasão e confiança no seu valor, que operou por ela, em nome de Deus, muitos e muitos singulares prodígios, não só entre os homens, mas até sobre os ventos e os mares; e elevou esta virtude a tão alto grau, que nada desejou se não conseguisse, pela consideração firme e contemplação viva que tinha no objeto sublime na esperança eterna e confiança em Deus.

Oração

Purifica os nossos conhecimentos, guia nossos pensamentos e ações a virtude da esperança eterna, vós que possuíste em vista da salvação eterna, a esperança no mais elevado grau de que são capazes os homens. Consagra com a vossa as nossas esperanças, e elas terão a mesma firmeza e o mesmo valor. Purificai os nossos encantamentos, e compreenderemos que é feliz quem esperta em Deus e em suas promessas. Assim, confiados na sua palavra, não vacilaremos no meio das tribulações que nos oprimem. Superiores a todos os obstáculos, os nossos inimigos perceberão em nós uma força oculta que lhes resiste. Imitaremos assim o vosso exemplo; e a nossa confiança nos fará esperar as mesmas recompensas e a ocasião de o louvarmos por toda a eternidade. Amém.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

SANTO ANTÔNIO É FÉ

A fé é a primeira de todas as virtudes; é a base; é o plano de nossa religião; é um dom do céu que Deus infunde no coração do homem, sem ele o merecer; é finalmente, uma santa escravidão que liga o nosso entendimento e o faz adorar verdades que não compreende. Por esta virtude vive o justo e, divinamente inspirado e vivamente persuadido dela desde a tenra idade, viveu Antônio. Por ela, e sujeitando-se-lhe aos ditames durante a sua breve vida, dirigiu todas as suas ações, vivendo tão catolicamente como acreditava. Durante toda a vida rogou fervoroso a Deus que aumentasse a sua fé, para se fazer credor da glória a que aspirava. Através da fé praticou os muitos prodígios e milagres que os habitantes de Pádua apregoam, e de que são testemunhas as almas que conquistou para o céu. Todas obras que foram efeito da firmeza e pureza da fé viva que sempre teve na santa lei do Criador.

Oração

Virtuoso Antônio, já que a primeira virtude que mostrastes nas diversas ações foi a fé viva, pura e constante permite que ela nos seja concedida em igual grau de perfeição, e que, em despeito das fracas luzes da nossa razão, ela nos dirija os sentimentos e as ações a fim de manifestarmos a conformidade que temos com a fé. Imploramos para isto o socorro de vossa proteção, para que com esta virtude, fazendo sacrifício voluntário de nossa razão, habilitarmo-nos a merecer o fruto da Redenção que, com seu precioso Sangue, nos concedeu Àquele que se dignou a baixar vossos braços, e a quem como o Pai e o Espírito Santo, já louvamos e esperamos ir louvar para sempre, por todos os séculos no céu. Amém.

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
Atos dos Apóstolos 17,15.22–18,1

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 17,15os que conduziram Paulo levaram-no até Atenas. De lá, voltando, transmitiram a Silas e Timóteo a ordem de que fossem ter com ele o mais cedo possível. E partiram. 
22De pé, no meio do Areópago, Paulo disse: “Homens atenienses, em tudo eu vejo que vós sois extremamente religiosos. 23Com efeito, passando e observando os vossos lugares de culto, encontrei também um altar com esta inscrição: ‘Ao Deus desconhecido’. Pois bem, esse Deus que vós adorais sem conhecer é exatamente aquele que eu vos anuncio. 24O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo Senhor do céu e da terra, ele não habita em santuários feitos por mãos humanas. 25Também não é servido por mãos humanas, como se precisasse de alguma coisa; pois é ele que dá a todos vida, respiração e tudo o mais.
26De um só homem ele fez toda a raça humana para habitar sobre a face da terra, tendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites de sua habitação. 27Assim fez, para que buscassem a Deus e para ver se o descobririam, ainda que às apalpadelas. Ele não está longe de cada um de nós, 28pois nele vivemos, nos movemos e existimos, como disseram alguns dentre vossos poetas: ‘Somos da raça do próprio Deus’.
29Sendo, portanto, da raça de Deus, não devemos pensar que a divindade seja semelhante a ouro, prata ou pedra, trabalhados pela arte e imaginação do homem. 30Mas Deus, sem levar em conta os tempos da ignorância, agora anuncia aos homens que todos e em todo lugar se arrependam, 31pois ele estabeleceu um dia em que irá julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou, diante de todos, oferecendo uma garantia, ao ressuscitá-lo dos mortos”.
32Quando ouviram falar da ressurreição dos mortos, alguns caçoavam, e outros diziam: “Nós te ouviremos falar disso em outra ocasião”. 33Assim Paulo saiu do meio deles.34Alguns, porém, uniram-se a ele e abraçaram a fé. Entre eles estava também Dionísio, o areopagita, uma mulher chamada Dâmaris e outros com eles. 18,1Paulo deixou Atenas e foi para Corinto.


- Palavra do Senhor. 


A BOA NOVA
João 16,12-15




Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12“Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora. 13Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará. 
14Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 15Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu”. 

Palavra da Salvação. 

TREZENA DE SANTO ANTÔNIO

Todo dia 13 de junho, celebra-se o dia de Santo Antônio, que foi definido pelo Papa João Paulo II como "um homem evangélico", pela sua luta em viver o Evangelho no cotidiano. Sigamos o seu exemplo. 
Santo Antônio insiste em seus ensinamentos sobre a importância do desapego das coisas, sobre a calma, a solidão, o silêncio, os quais permitem escutar e ver Deus.
É um dos Santo mais populares do Brasil e, também, é conhecido por ser o Padroeiro dos pobres, Santo casamenteiro, sempre sendo invocado para se achar objetos perdidos. 
Nestes próximos treze dias conheceremos mais a sua história e suas virtudes. No próximo domingo, começando a série de milagres eucarísticos dominicais, o acontecido na cidade de Toulouse (França) com o Santo Antônio. 


Roteiro:
Iniciaremos invocando o poder do Espírito Santo:

Vinde, Espírito Santo! Enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra.
Oremos: Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da Sua consolação.
Por Cristo, nosso Senhor.
Amém.

Após, vamos refletir sobre as virtudes de Santo Antônio, rezar a oração específica do dia e em seguida rezaremos o Pai Nosso e Ave Maria. 

terça-feira, 31 de maio de 2011

EUCARISTIA É MILAGRE!

Chegada a plenitude dos tempos, Jesus Cristo, nosso Divino Salvador, veio ao mundo e se realizaram em sua adorável Pessoa os mistérios sublimes que constituem o eixo principal do dogma católico: a Encarnação (Deus unido à natureza humana), a Paixão (Deus imolado pelo homem) e a Eucaristia (Deus feito, tanto quanto possível, um só com o homem que O recebe).

A fonte e o mistério destes inefáveis mistérios é o amor infinito do Supremo Criador: "Deus amou de tal modo o mundo que lhe deu o seu Filho Unigênito" (São João 3,16)

A esse amor infinito de Deus, o Unigênito do Pai acrescentou o estupendo prodígio de dar-Se a Si mesmo, no Santíssimo Sacramento do altar, pois não suportava o seu amoroso Coração separar-Se de nós e deixar-nos órfãos no borrasco mar deste mundo: "Eu mesmo estarei convosco até a consumação dos séculos". (Mateus 28, 20).

No tabernáculo se perpetuam os três grandes mistérios, porque a Eucaristia é a Encarnação continuada, é o sacrifício constante e é a união cotidiana do homem com Deus.

Por obra da Onipotência divina, Nosso Senhor:

Sendo infinito pela sua natureza, no entanto Se reduziu aos estreitos limites de uma Hóstia consagrada, vítima de sua inefável bondade;

Sendo rico, como soberano Senhor que é de inumeráveis mundos, submeteu-Se a pobreza de um Sacrário, escravo de sua inesgotável caridade;

Sendo essencialmente livre, constituiu-Se preso, encadeado com as cadeias de seu amor;

Sendo honrado e glorificado pelos coros angelicais, expôs-Se aos ultrajes e injúrias dos homens, suportando-os com admirável paciência e mansidão;

E, finalmente, sendo Rei dos Céus e da terra, quis fazer-Se obediente às palavras da consagração com estupenda e inaudita docilidade.

Como Sacerdote eterno que é, segundo a ordem de Melquisedeque, Nosso Senhor Jesus Cristo dirige do Tabernáculo santo o perfume da contínua e fervorosa oração que, em odor de suavidade, chega ao Pai celestial e desvia os raios da Divina Justiça, irritada pelas maldades dos homens, "vivendo sempre para interceder por nós" (Hebreus 7, 25), constituindo-SE, ademais, nosso Pai, para consolar-nos e recriar-nos como filhos; nosso Mestre, para  ensinar-nos sua celestial doutrina; nosso Médico, para curar nossas doenças; e nosso Consolador, para alentar-nos em todas as amarguras e sofrimentos da vida.

No entanto, para cumular-nos de seus incomparáveis benefícios a primeira disposição que exige de nós é a fé nEle. Essa fé Ele exigiu das irmãs de Lázaro, de São Pedro, do paralítico, do cego de nascimento, da hemorroíssa e de todos os demais que o recompensou, concedendo as graças que desejavam alcançar. Essa mesma fé Ele elogiou no centurião romano e em todos que magnificamente a manifestaram.

Vamos avivar nas almas o ardor da fé em Jesus Sacramentado; com isso se obterá uma ilimitada confiança em suas bondades e se acrescentará o intenso amor que Lhe devemos e a fé de todos na Sagrada Eucaristia. 

A partir do próximo domingo, vamos compartilhar e contemplar diversos Milagres Eucarísticos documentados em todo o mundo.

Fonte: Livro Milagres Eucarísticos, do Padre Manuel Traval e Roset. (adaptado)

TE COROAMOS, Ó MÃE, NOSSA RAINHA!




Se um dia um Anjo declarou
Que tu eras cheia de Deus
Agora penso quem sou eu
Para não te dizer, também
Cheia de graça, oh mãe
Cheia de graça, oh mãe,
Agraciada

Se a palavra ensino
Que todos hão de concordar
E as gerações te proclamar
Agora eu também, direi
Tu és bendita, oh mãe,
Tu és bendita, oh mãe,
Bem-aventurada

Surgiu um grande sinal no céu, uma mulher revestida de sol
A lua debaixo de seus pés e na cabeça uma coroa

Não há como se comparar, perfeito é quem te criou
Se o criador te coroou,
Te coroamos, oh mãe,
Te coroamos oh mãe,
Te coroamos, oh mãe
Nossa rainha

Letra: Perfeito é quem Te criou (Padre Marcelo)

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
Sofonias 3,14-18

Leitura da Profecia de Sofonias.


14Canta de alegria, cidade de Sião; rejubila, povo de Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém! 15O Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos; o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal. 
16Naquele dia, se dirá a Jerusalém: “Não temas, Sião, não te deixes levar pelo desânimo!17O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; ele exultará de alegria por ti, movido por amor; exultará por ti, entre louvores, 18como nos dias de Festa. Afastarei de ti a desgraça, para que nunca mais te cause humilhação”.

Palavra do Senhor.


2ª Leitura


Rm 12,9-16


Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos.

Irmãos, 9o amor seja sincero. Detestai o mal, apegai-vos ao bem. 10Que o amor fraterno vos una uns aos outros com terna afeição, prevenindo-vos com atenções recíprocas.11Sede zelosos e diligentes, fervorosos de espírito, servindo sempre ao Senhor, 12alegres por causa da esperança, fortes nas tribulações, perseverantes na oração. 13Socorei os santos em suas necessidades, persisti na prática da hospitalidade. 14Abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis. 15Alegrai-vos com os que se alegram, chorai com os que choram. 16bMantende um bom entendimento uns com os outros; não vos deixeis levar pelo gosto de grandeza, mas acomodai-vos às coisas humildes.

Palavra do Senhor.


A BOA NOVA
Lucas 1,39-56

39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 
42Com um grande grito exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre!” 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre.45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.

46Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem.
51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia,55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa. 

Palavra da Salvação. 

VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA

Sabemos que Nossa Senhora foi visitada pelo Arcanjo Gabriel com esta mensagem de amor, com esta proposta de fazer dela a mãe do nosso Salvador. E ela aceitou. E aceitar Jesus é estar aberto a aceitar o outro. O anjo também comunicou a ela que sua parenta - Santa Isabel - já estava grávida. Aí encontramos o testemunho da Santíssima Virgem - no Evangelho de São Lucas no capitulo 1, - quando depois de andar cerca de 100 km ela encontrou-se com Isabel.

Nesta festa, também vamos descobrindo a raiz da nossa devoção a Maria. Ela cantou o Magnificat, glorificando a Deus. Em certa altura ela reconheceu sua pequenez, e a razão pela qual devemos ter essa devoção, que passa de século a século.

“Porque olhou para sua pobre serva, por isso, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações.” (Lucas 1,48)

A Palavra de Deus nos convida a proclamarmos bem-aventurada aquela que, por aceitar Jesus, também se abriu à necessidade do outro. É impossível dizer que se ama a Deus, se não se ama o outro. A visitação de Maria a sua prima nos convoca a essa caridade ativa. A essa fé que se opera pelo amor. Amor que o outro tanto precisa. 

Quem será que precisa de nós? 

Peçamos a Virgem Maria que interceda por nós junto a Jesus, para que sejamos cada vez mais sensíveis à dor do outro. Mas que a nossa sensibilidade não fique no sentimentalismo, mas se concretize através da caridade.

Virgem Maria, Mãe da visitação, rogai por nós! 

segunda-feira, 30 de maio de 2011

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
Atos dos Apóstolos 16,11-15

Leitura dos Atos dos Apóstolos.


11Embarcamos em Trôade e navegamos diretamente para a ilha de Samotrácia. No dia seguinte, ancoramos em Neápolis, 12de onde passamos para Filipos, que é uma das principais cidades da Macedônia, e que tem direitos de colônia romana. Passamos alguns dias nessa cidade. 
13No sábado, saímos além da porta da cidade para um lugar junto ao rio, onde nos parecia haver oração. Sentados, começamos a falar com as mulheres que estavam aí reunidas. 14Uma delas chamava-se Lídia; era comerciante de púrpura, da cidade de Tiatira. Lídia acreditava em Deus e escutava com atenção. O Senhor abriu o seu coração para que aceitasse as palavras de Paulo. 
15Após ter sido batizada, assim como toda a sua família, ela convidou-nos: “Se vós me considerais uma fiel do Senhor, permanecei em minha casa”. E forçou-nos a aceitar. 

Palavra do Senhor. 


A BOA NOVA
João 15,26–16,4a

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 
15,26“Quando vier o Defensor que eu vos mandarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. 

27E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o começo. 16,1Eu vos disse estas coisas para que a vossa fé não seja abalada. 2Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que aquele que vos matar julgará estar prestando culto a Deus. 3Agirão assim, porque não conheceram o Pai, nem a mim. 4aEu vos digo isto, para que vos lembreis de que eu o disse, quando chegar a hora”.

Palavra da Salvação. 

NOSSA SENHORA DAS MARAVILHAS

A história dessa milagrosa imagem é verdadeiramente extraordinária. Ela estava ameaçada de destruição em um pequeno povoado vizinho a Salamanca, ignorando-se completamente como lá havia chegado. E hoje é uma das mais formosas que se veneram na Espanha.
No final do século XVI, tal imagem contudo estava tão maltratada, com o rosto tão desfigurado, que o Juiz Eclesiástico ordenou fosse enterrada.
Quando sua disposição estava para ser cumprida, o tumulto que se formou no pórtico da igreja, onde ela se encontrava, assemelhava-se a um enxame de abelhas dispostas a abandonar sua colméia.
Eram os fiéis que, acostumados a rezar diante daquela imagem deteriorada, viam desaparecer, com dor, o sagrado objeto por tanto tempo cultuado.
Em vão o pároco do lugar tentou cumprir a ordem do Juiz Eclesiástico. Entre os que se lhe opunham com prantos e brados destacava-se João González e, muito particularmente, sua esposa, os quais pediam que a imagem lhes fosse entregue.
A solicitação foi-lhes recusada. Contudo, tantas e tão intensas foram as instâncias daquela mulher que, ao cabo de vinte e seis anos de perseverantes esforços, conseguiu ela que a autoridade eclesiástica satisfizesse seu desejo.
E assim, com o coração palpitante de alegria e com respeitoso amor por haver salvo a imagem, levou aquele inestimável tesouro até sua casa. Graças, pois, à sua piedosa devoção, evitou-se o desaparecimento da imagem, sem que se saiba ao certo por que, durante tanto tempo, ficou sem cumprimento a ordem do Juiz.
Em Madri, os milagres se multiplicam
Depois de passar por grandes vicissitudes, foi a imagem vendida em Madri a Ana Maria del Carpio, esposa de um escultor. Este, a seus rogos, retocou a imagem, apesar do estado lastimável em que encontrava.
Segundo a tradição, antes de a imagem passar ao seu poder, Ana Maria, em sonhos, viu-a rogando-lhe que não lhe recusasse um albergue em sua casa, porque assim convinha que fosse servida.
E abrindo-lhe as mãos, entre elas mostrava-lhe um Menino, que era seu Santíssimo Filho Jesus, a quem uma flor – a maravilha – servia de trono.
Três anos permaneceu a imagem na casa de Ana Maria. Os milagres que operou nesse período, porém, impeliram o Vigário Geral de Madri a intimar a esposa do escultor a depositá-la em algum convento ou igreja, para que recebesse o devido culto público e a veneração dos fiéis.
Obrigada a obedecer à determinação da autoridade, resolveu Ana Maria ceder sua imagem ao convento – hoje das Maravilhas – da Igreja de Santo Antão, o qual era ocupado por freiras carmelitas.
Cumprindo-se a ordem do Vigário Geral, no dia 1º de fevereiro de 1627 a imagem foi transladada, em uma carruagem, da casa de Ana Maria del Carpio para o convento.
E, durante o cortejo, todas as pessoas do povo observaram que uma pomba seguia ininterruptamente a carruagem até chegar à porta da igreja, quando pousou uns instantes sobre o teto do coche.
Depois, alçando vôo rapidamente, tão-logo a imagem entrou no templo, a ave dirigiu-se ato contínuo ao coro das freiras, deixando-se pegar por elas.
A imagem e a resistência anti-napoleônica

A sagrada imagem da Virgem, que se venera neste convento, não somente emprestou seu nome ao templo em que foi colocada – a Igreja das Maravilhas – como também ao bairro em que o convento está situado.

É digno de menção que, a partir de uma praça de guerra, localizada nas imediações do convento, a coragem do povo espanhol tenha se manifestado de modo tão heróico, pois ali, em 1808, se lançou o primeiro grito de resistência contra as hostes revolucionárias napoleônicas.
Brado que, ecoando intensamente por toda a nação, ao cabo de seis anos foi responsável pela expulsão do solo espanhol das tropas de José Bonaparte, usurpador do trono dos Reis Católicos. Brado que também devolveu o cetro a seu legítimo monarca que o havia herdado de seus ancestrais.
Os gloriosos lances históricos acima descritos fizeram com que os habitantes do bairro das Maravilhas, entusiasmados com a defesa heróica da Religião e da Pátria que levaram a efeito naquela ocasião, conduzissem a imagem de sua Padroeira em procissão de ação de graças, numa data muito significativa: 30 de julho de 1808, dia em que José Bonaparte teve que evacuar a capital espanhola – não tendo durado sua permanência em Madri mais que dez dias -, em conseqüência da batalha de Bailén.
_________________________
Fonte de referência:
Conde de Fabraquer, Historia. Tradiciones y Leyendas de Ias imágenes de Ia Virgen. aparecidas en Espana. tomo III, lmprenta y Litografia de D. Juan José Martínez, Madrid, 1861, pp. 325 a 350.

Fonte: Páginas Marianas (ADF)

domingo, 29 de maio de 2011

A PALAVRA DO DIA

1ª Leitura
Atos dos Apóstolos 8,5-8.14-17

Leitura dos Atos dos Apóstolos: 


Naqueles dias, 5Filipe desceu a uma cidade da Samaria e anunciou-lhes o Cristo. 6As multidões seguiam com atenção as coisas que Filipe dizia. E todos unânimes o escutavam, pois viam os milagres que ele fazia. 7De muitos possessos saíam os espíritos maus, dando grandes gritos. Numerosos paralíticos e aleijados também foram curados. 8Era grande a alegria naquela cidade. 
14Os apóstolos, que estavam em Jerusalém, souberam que a Samaria acolhera a Palavra de Deus, e enviaram lá Pedro e João. 15Chegando ali, oraram pelos habitantes da Samaria, para que recebessem o Espírito Santo. 16Porque o Espírito ainda não viera sobre nenhum deles; apenas tinham recebido o batismo em nome do Senhor Jesus. 
17Pedro e João impuseram-lhes as mãos, e eles receberam o Espírito Santo.

Palavra do Senhor. 



2ª Leitura
1º Pedro 3,15-18

Leitura da Primeira Carta de São Pedro: 


Caríssimos: 15Santificai em vossos corações o Senhor Jesus Cristo, e estai sempre prontos a dar razão da vossa esperança a todo aquele que vo-la pedir. 
16Fazei-o, porém, com mansidão e respeito e com boa consciência. Então, se em alguma coisa fordes difamados, ficarão com vergonha aqueles que ultrajam o vosso bom procedimento em Cristo. 17Pois será melhor sofrer praticando o bem, se esta for a vontade de Deus, do que praticando o mal.
18Com efeito, também Cristo morreu, uma vez por todas, por causa dos pecados, o justo, pelos injustos, a fim de nos conduzir a Deus. Sofreu a morte, na sua existência humana, mas recebeu nova vida pelo Espírito.

Palavra do Senhor.




A BOA NOVA
João 14,15-21


Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 15Se me amais, guardareis os meus mandamentos, 16e eu rogarei ao Pai, e ele vos dará um outro Defensor, para que permaneça sempre convosco: 17o Espírito da Verdade, que o mundo não é capaz de receber, porque não o vê nem o conhece. Vós o conheceis, porque ele permanece junto de vós e estará dentro de vós. 18Não vos deixarei órfãos. Eu virei a vós. 19Pouco tempo ainda, e o mundo não mais me verá, mas vós me vereis, porque eu vivo e vós vivereis. 20Naquele dia sabereis que eu estou no meu Pai e vós em mim e eu em vós. 21Quem acolheu os meus mandamentos e os observa, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele. 


Palavra da Salvação.